Quebras de decoro parlamentar serão investigadas em Comissões de Ética na Câmara de Parobé

Legislativo nomeou integrantes para apurar as denúncias
Quebras de decoro parlamentar serão investigadas em Comissões de Ética na Câmara de Parobé

Duas novas comissões de ética foram instaladas para apurar quebras de decoro parlamentar.

O Legislativo de Parobé instalou duas comissões de ética para apurar supostos casos de quebra de decoro parlamentar. Acatando os pedidos feitos pelo vereador Moacir Jagucheski (Cidadania), a mesa diretora da Câmara de Vereadores divulgou a nomeação dos integrantes.

As duas comissões devem apurar quebras de decoro por parte da vereadora do PT, Maristela Toffoli. Na primeira, os vereadores Gilberto Gomes (Republicanos), Elario Jahn (MDB) e Dari da Silva (PROS), vão analisar se houve a quebra durante uma entrevista concedida pela vereadora a uma rádio comunitária do município. Na ocasião, a parlamentar teria “faltado com a verdade ao difamar a imagem do também vereador, Moacir Jagucheski.

Já o segundo grupo, formado pelos vereadores Elario Jahn (MDB), Jorge Graminha (PP) e Alex Bora (PL), vão apurar a falta de decoro durante o pronunciamento de Maristela na sessão ordinária, quando a parlamentar utilizou o termo “virou o cocho” ao referir-se novamente ao vereador do Cidadania.

As duas comissões têm o prazo de 60 dias para concluir o trabalho podendo ser prorrogado. Segundo o assessor jurídico, os integrantes de cada uma das comissões foram definidos obedecendo a regra de representatividade, garantindo que todos os blocos partidários façam parte. “Assim como as demais comissões, esta também obedecerá aos critérios estabelecidos no Regimento Interno da Casa Legislativa. Inclusive no que diz respeito ao sigilo durante as avaliações”, destacou José Valdinei Cardoso.

Foto: Eduarda Rocha/Assessoria de Comunicação