Projeto do cemitério municipal pode sofrer alterações

Câmara e Executivo estudam mudança de área destinada à construção
Projeto do cemitério municipal pode sofrer alterações

Vereadores e prefeito interino visitaram o local destinado ao cemitério municipal junto a equipe técnica das secretarias de Meio Ambiente e Planejamento

O projeto que cria um novo cemitério municipal pode sofrer alterações antes de ser aprovado na Câmara de Vereadores de Parobé. Na manhã desta terça-feira, dia 24, os vereadores da Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final, Gilberto Gomes (PRB) e Maria Eliane Nunes (PMDB), acompanhados do presidente do Legislativo, Enio Terra (PTB), visitaram a área que seria destinada ao cemitério conforme o projeto 021/2017.

Além dos vereadores, também participou da visita o prefeito interino, Moacir Jagucheski, e a equipe técnica da secretaria do Meio Ambiente e secretaria de Planejamento.

O objetivo da vistoria foi verificar a possibilidade de alteração do local sugerida pela comissão do Legislativo. A solicitação questiona a possibilidade de ampliação do cemitério já existente na localidade de Sanga Funda ao invés da construção de um novo espaço para o sepultamento e casa mortuária.

Conforme Gomes, o espaço definido no projeto que tramita no Legislativo acaba gerando mais custos ao município, já que necessitaria de altos investimentos em obras de reparações no solo para que fosse possível a construção do cemitério.

 “Nós verificamos durante a análise, que esta alteração do local acaba sendo mais viável ao Executivo, pois onera menos os cofres públicos, além de ser um espaço maior o que consequentemente aumentaria o número de gavetas a serem construídas”, destaca Gomes.

Para Jagucheski, o Executivo fará um novo estudo de viabilidade com base na sugestão dos vereadores, verificando toda a tramitação legal como medição, planejamento e liberação ambiental. “Nós vamos estudar a continuidade deste projeto. Todo o quadro técnico está envolvido nesta questão e a partir de agora será feito um estudo para ver os custos, depois um levantamento do local e a documentação completa”, explica o prefeito. 

Foto: Eduarda Rocha/Assessoria de Comunicação