Câmara busca esclarecimentos de atendimento no Hospital São Francisco

Vereadores receberam equipe diretiva da Casa de Saúde, além de prefeito e secretária de saúde do município nesta segunda-feira
Câmara busca esclarecimentos de atendimento no Hospital São Francisco

Equipe diretiva do Hospital respondeu aos questionamentos dos vereadores durante quase duas horas nesta segunda-feira.

O gabinete da presidência do Legislativo de Parobé sediou na tarde desta segunda-feira, dia 01, uma reunião emergencial para buscar esclarecimentos com a equipe diretiva do Hospital São Francisco de Assis, a respeito do óbito de um bebê de 29 dias ocorrido no último final de semana.

Na ocasião, estiveram presentes o prefeito Irton Feller, vice-prefeita e secretária de Saúde, Marizete Pinheiro, além dos vereadores, Maria Eliane Nunes (MDB), Jair Bagestão (PT), Antônio Carlos dos Santos (PDT), Gilberto Gomes (PRB), Eneas Rodrigues (MDB), Enio Terra (PTB), Marcos Friedrich (MDB), Marcelo Pereira (PDT) e Alex Bora (PL).

Durante a reunião que durou mais de duas horas, os diretores da Casa de Saúde, João Schmidt e Dr. Tadeu Stringari, responderam os questionamentos dos parlamentares.  “Temos um médico que atende da meia noite às sete da manhã. Trabalhamos com o sistema e equipe que temos. Entendemos a dor e o sofrimento do pai. A nossa equipe sofre junto, esta é uma dor de todos. Foi um caso grave e a forma que foi conduzido não foi satisfatória”, afirmou Stringari.

Segundo a secretária de Saúde, todos os serviços disponíveis pela administração foram oferecidos à família. “Foi feito todo o atendimento à família por parte do que a Prefeitura poderia ofertar, onde a criança foi encaminhada a Porto Alegre. O que desencadeou esta situação lamentável foi no momento da emergência na Casa de Saúde”, destaca.

Sindicância para investigar o caso - Conforme os representantes do hospital, uma sindicância foi aberta a fim de investigar todas as circunstâncias do ocorrido. O prazo de término do processo é de 120 dias, mas devido a gravidade do fato deverá ser realizado em caráter de urgência.

Para Bagestão, é inadmissível que não haja respostas perante as denúncias de negligência feitas pela família da criança nas redes sociais. “Nós estamos cobrando uma resposta urgente. Vamos aguardar a sindicância, mas queremos respostas, saber o que de fato aconteceu com esta criança. Representamos a comunidade e é inadmissível que isto aconteça no hospital que atende nossa comunidade”, destacou o vereador.

Atualmente, o Hospital São Francisco de Assis atende moradores de outros municípios da região do Vale do Paranhana, bem como da região metropolitana. No encontro, Feller sugeriu a equipe do hospital uma mudança na forma de atender a comunidade. “Eu lastimo e imagino como não deve estar este cidadão e sua esposa, que perderam seu filho. Acompanhei a situação junto da secretária e entendo que a administração fez o que estava em seu alcance. O que aconteceu já na casa de saúde não pode ser reparado, mas é preciso pensar em mudar a forma de atendimento”, salientou o prefeito.

Foto: Eduarda Rocha/Assessoria de Comunicação