Câmara aprova contratações do Executivo e repasse à CDL

Parlamentares apreciaram cinco projetos de Lei em sessão ordinária
Câmara aprova contratações do Executivo e repasse à CDL

Projetos importantes foram votados em Plenário nesta semana

Em mais um ano, a campanha “Não Ande a Pé, Compre em Parobé” contará com apoio do poder público municipal em Parobé. Durante a sessão ordinária, os vereadores aprovaram o projeto de Lei 051/2018, que autoriza o Executivo a repassar o valor de R$ 25 mil à Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL). O valor tem como objetivo custear o veículo sorteado na campanha que fomenta o comércio durante as vendas de Natal.

Além deste projeto, os vereadores aprovaram por unanimidade o texto 052/2018, que autoriza a contratação emergencial de até 15 professores para as séries iniciais nas escolas do município.

Outros dois projetos também receberam aprovação unânime da Casa Legislativa. O de número 047/2018, cede um terreno, com direito real de uso de imóvel do município à Corsan, para a instalação de equipamentos de abastecimento de água potável no Loteamento das Acácias.

Já o 046/2018, permite que a Cooperativa Habitacional Parobé, realize serviços de máquina e disponibilize materiais, como aterro, caminhões caçamba, terraplanagem, abertura de fossas, filtro, sumidouro e recolhimento de entulhos. Estes serviços devem possibilitar a execução de 14 unidades habitacionais através do Programa Minha Casa, Minha Vida. 

Contratações são aprovadas por maioria – Outras 12 contratações emergenciais foram autorizadas pela maioria do Legislativo. Em pauta, o projeto de Lei 049/2018, autoriza que a Prefeitura contrate em caráter emergencial profissionais para ocupar os cargos de técnico contábil, eletrotécnico, arquiteto, assistente de TI, técnico de segurança do trabalho, médico do trabalho, assessor jurídico, técnica em nutrição, assistente social e psicóloga.

Durante a discussão da matéria, os vereadores Dari da Silva (PROS), Maristela Toffoli (PT), Henrique dos Santos (PDT), Antônio Carlos dos Santos (PDT), Alex Bora (PR) e Marcelo Pereira (PDT), manifestaram-se contrários a sua aprovação. Mesmo com estas manifestações, o projeto foi aprovado em Plenário por oito votos a seis.

Foto: Eduarda Rocha/Assessoria de Comunicação