Uma nova chance para os imigrantes

Proposta quer integrar haitianos e senegaleses em projetos comunitários
Uma nova chance para os imigrantes

Vereador de Parobé visitou a sede do projeto Bonne Chance em Porto Alegre

A dura realidade de quem chega ao Brasil fugindo de países em conflito já é uma realidade no dia a dia das pequenas cidades da região metropolitana. Em Parobé, diversos de imigrantes vindos do Senegal, Haiti e outros continentes, disputam espaço na área Central da cidade.

A fim de possibilitar a inserção saudável destes imigrantes no ambiente comunitário, o vereador Gilberto Gomes, do PRB, apresentou ao Legislativo o pedido de implantação do projeto Bonne Chance – “boa sorte” em francês.

Criado pela jornalista e socióloga gaúcha, Ana Emília Cardoso, a iniciativa tem como principal objetivo tirar os imigrantes, muitas vezes refugiados, da invisibilidade social quando ao deixarem seu local de origem, acabam encontrando dificuldades de acolhimento no cotidiano dos municípios.

Nascido em Porto Alegre, na Vila Flores, o projeto possibilita que os imigrantes realizem uma troca cultural utilizando aulas da língua francesa como principal ferramenta. 

Para conhecer mais a respeito de como funcionam as atividades, o parlamentar esteve na última quarta-feira, dia 04, visitando as coordenadoras Marjorie Daiana Hattge e Samantha Wallig. “Acredito que podemos criar um elo entre a comunidade e estes imigrantes. Existe um potencial de compartilhamento mútuo de cultura que é enriquecedor”, afirma Gomes.

Além disso, as coordenadoras destacam que muitos dos imigrantes possuem cursos superiores, mas que por não estarem familiarizados com a cultura e a língua, acabam sem oportunidades e entrando para a informalidade.

Para a implantação no município, o primeiro passo será encontrar professores de português para dar aulas aos interessados em participar, para que depois seja possível repassar o ensino utilizando o mesmo método à comunidade. “Vou estudar qual a melhor forma de conseguir esta parceria. Temos instituições de ensino superior próximas ao município que de repente podem contribuir”, ressalta Gomes.