Legislativo e Executivo se reúnem com sindicato dos servidores

Prefeito interino apresentou proposta de reajuste conforme a tabela do IGPM
Legislativo e Executivo se reúnem com sindicato dos servidores

Prefeito interino, vereadores e entidades que representam o funcionalismo público se reuniram na tarde de ontem (17)

O gabinete do presidente do Legislativo de Parobé, Enio Terra (PTB), sediou na tarde de segunda-feira, dia 17, uma reunião entre o Executivo, vereadores e representantes do funcionalismo público. Na pauta do encontro esteve o debate sobre o reajuste anual do salário dos servidores efetivos.

Apesar das dificuldades financeiras que o município enfrenta, com um valor em dívidas que somam R$ 50 milhões, o prefeito interino Moacir Jagucheski, apresentou a proposta de 4,86%, conforme a tabela de Índice Geral de Preços do Mercado (IGPM), sem incluir os cargos de confiança.

“Nós trabalhamos com o reajuste conforme o IGPM, nada mais do que isso. Precisamos valorizar os servidores, mas infelizmente o município não possui recursos para mais do que este valor, pois estamos com dificuldades. Mesmo assim vamos corrigir o subsídio de forma justa. Caso o prefeito titular assuma e decida dar um aumento ainda maior será uma decisão da próxima administração”, justifica Jagucheski.

Conforme o chefe do Legislativo, é importante que a Câmara de Vereadores e Prefeitura estejam mais próximas dos sindicatos que representam o funcionalismo. “O Legislativo deve promover estes debates e estar presente nesta negociação, pois somos nós vereadores que avaliam o projeto. É preciso ter conhecimento profundo e embasamento quando este projeto tramitar aqui para que fique uma decisão boa para todos”, destaca Terra.

Segundo a presidente da Associação dos Servidores Municipais de Parobé (ASMUP), Lisete Isabel Pires Cerveira, em fevereiro a entidade já havia conversado com o Executivo a fim de iniciar as tratativas sobre o reajuste, onde então foi acertado que haveria um encontro junto aos vereadores.

“Uma das principais preocupações seria quanto ao parcelamento. Pedimos ao prefeito para que isto não ocorra. Vamos agora nos reunir em assembleia extraordinária e votar a proposta que nos foi apresentada”, explica.

Lisete também salienta a importância de todos estarem unidos para ajudar a cidade neste período de crise. “Não adianta a prefeitura nos prometer e depois não cumprir. É preciso negociar de forma aberta e transparente. Estamos todos de mãos dadas para fazer Parobé melhor”, finaliza.

Também participaram da reunião os vereadores Elario Jahn (PMDB), Antônio Carlos dos Santos (PDT), Gilberto Gomes (PRB), Maria Eliane Nunes (PMDB), Dari da Silva (PROS), Jorge Graminha (PP), Maristela Rossatto (PT), Valcir Moreira (PSB) e Jair Bagestão (PT). 

Foto: Eduarda Rocha/Assessoria de Comunicação